Arquivo da tag: Idéia

TIPS! Concursos de Arquitetura

Após alguns dias sem atualizar o blog, estamos voltando à ativa com força total.

Neste post, falaremos um pouco sobre uma alternativa algumas vezes pouco conhecida pelos arquitetos, sendo assim até uma dica.

Os CONCURSOS DE ARQUITETURA!

Já cheguei a ouvir de alguns arquitetos que é praticamente impossível você fazer uma boa arquitetura, pois tem que cumprir exigências do seu cliente. Que os arquitetos ou projetam para alguém, ou projetam por si próprios edificações para depois vende-las (precisando então trabalhar com projetos “que tenham mercado”), ou trabalham para o poder público.

Papo de arquiteto frustrado e desinformado.

Participando e vencendo concursos de arquitetura, você tem a chance de ser contratado para executar e implantar um projeto puramente seu. Além da grande visibilidade que ganhará o seu nome ou do seu escritório.

Hoje, alguns grandes nomes de Arquitetos ou Escritórios de Arquitetura ganharam seus nomes através de participações e prêmios em concursos, como o UNA Arquitetos, Grupo SP, Estúdio América, entre outros.

Bom, a dica era essa. Fique atento aos concursos de arquitetura, e melhor, participe de todos que puder!

Estaremos sempre informando sobre alguns aqui no blog, mas vamos recomendar o site Concursos de Projeto para os interessados.

Muito Obrigado!

IMG

Anúncios
Etiquetado , , ,

estúdio de criação?

O que seria um Estúdio de Criação? O que exatamente vocês criam? Com o que trabalham?

Essa é uma definição um pouco difícil para nós, e acho que a melhor maneira de responder é dizendo o que nós gostamos de criar.

E a resposta seria Absolutamente Tudo.

Um Estúdio de Criação é um lugar onde transformamos uma vontade em uma idéia e essa ideia em produto, seja ele estático ou dinâmico, virtual ou tocável, pequeno ou grande e etc.

Nosso trabalho é viver e conviver com a criatividade. Trabalhar com o desafio de direcionar a criação para qualquer forma de necessidade.

Gerar imagens de divulgação, publicidade, objetos, edifícios arquitetônicos, interiores, vídeos, espaços, ambientes,  filmes, músicas, idéias, textos e tudo o que precisa do lado direito do cérebro para passar a existir.

/Arte/Literatura/Ilustração/Desenhos/Design/Arquitetura/Cinema/Pintura/Música/Criação/

Tudo isso e mais um pouco, e nada disso e um pouco menos.

IMG

Etiquetado , , , , , , , , , , , , ,

Jovens Artistas #3 – Cinthia Dynamite

Do curso de design gráfico para moda. De uma agência de turismo para um estúdio fotográfico.

Só depois de toda essa jornada, Cinthia Saty Fuji – ou Cinthia Dynamite, como assina seus trabalhos – voltou para a ilustração e para o desenho, algo que já havia desistido a alguns anos atrás, por volta de seus 16. O ano decisivo foi 2010, quando decidiu que iria investir na área, se formando na Academia de Artes Quanta.

Seja seguindo os traços angelicais de Alphonse Mucha ou nas idéias surrealistas do grande mestre Hayao Miyazaki, o trabalho de Cinthia tem um “quê” de infância, de sonho; aqui nada de arestas pesadas ou contornos desnecessários. Muita cor e expressão dão conta do recado. As inspirações ainda se estendem para outros grandes nomes como Goro Fujita, Kevin Dart, Dice Tsutsumi, etc.

Se já manda bem no desenho, pintura e design gráfico, a garota ainda coloca as manguinhas de fora e parte para duas outras paixões: dança hip-hop a 8 anos e espalha um pouco de arte pelas ruas de São Paulo, grafitando sempre que pode.

Para o futuro, um livro infantil (escrito e ilustrado todo por ela) e dois curtas de animação. Se estático no papel já é espetacular, imagina animado?

Esperamos que o trabalho dela cresça cada vez mais! Valeu Cinthia!

Ah, não esquece de visitar o BLOG  e o SITE dela heim?

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Grandes Artistas #5 – Alan Moore

Muitas vezes é difícil escolher e apontar a pessoa que é o melhor em alguma coisa.

O melhor cineasta? O melhor arquiteto? O melhor ilustrador? Essas escolhas dependem muito do gosto pessoal de cada um, não?

Mas parece haver um consenso pelos aficionados por quadrinhos de que Alan Moore é a excelência da área (abro um parênteses para as obras de Frank Miller e Neil Gaiman, pois pessoalmente considero estes dois, junto com Moore, os panteões dos quadrinhos).

V de Vingança

Logicamente, alguém que escreve V de Vingança, Watchmen e A Liga Extraordinária não podeira ser normal. Inglês de Northampton, nascido em 1953, veio de família pobre e chegou a ser expulso do colégio aos 17 anos pelo uso de drogas.

Fazendo um bico aqui e outro ali, começou a publicar seus trabalhos em fanzines e revistas pouco conhecidas da inglaterra.

Em 79 começou a trabalhar para o jornal local Northants Post, escrevendo e desenhando semanalmente a tira Maxwell The Magic Cat, uma espécie de anti-garfield.

Nos anos 80 se une à revista 2000AD, considerada uma das melhores revistas sobre quadrinhos da inglaterra. De lá saía, por exemplo, a série Judge Dredd.

Em 82, junto com a revista Warrior, Moore, agora com liberdade criativa, mostrou o que viria ser uma obra prima: V de Vingança! A partir daí invadiu o mundo norte-americano dos quadrinhos, escrevendo Monstro do Pântano pela DC Comics, Constantine pela Vertigo e outras obras de renome, como From Hell, WatchmenA Liga Extraordinária, séries especiais para o Cavaleiro das Trevas e Superman.

Se existe um divisor de águas no mundo dos quadrinhos, esse é Alan Moore. Histórias adultas, direcionadas às realidades da época, traziam em cada um de seus roteiros características e qualidades específicas, sempre com o tom sombrio e violento, repleto de anti-heróis.

A obra de Moore merece um lugar especial na estante de qualquer um que se considere fã de quadrinhos, histórias e criatividade .

Monstro do Pântano

Piada Mortal

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , ,

INSPIRAÇÃO #13 – Postos de Gasolina

Posto de gasolina é tudo igual, certo?

Cobertura em aço com um logotipo enorme.

Vejamos…

Gas Station / Atelier SAD © Tomáš Souček

Diamond Gas Station, ca 1950s, location unknown Diamond Gas Station, ca 1950s, location unknown © Pedro E. Guerrero, Courtesy Edward Cella Art+Architecture

Gazoline Petrol Station / Damilano Studio Architects © Andrea Martiradonna

2069362790_moneo-brock-vista-general 2069362790_moneo-brock-vista-general

6_Office dA Gas Station 2 © Jesse Ganes

7_Office dA Gas Station Brandon Baunach

Se fosse tudo igual não estaria na Inspiração da IMG.

Quer mais? Curta nossa página no FACEBOOK!

Etiquetado , , , , , , , , , , , ,

Toy Art

Brinquedos que não foram feitos  para crianças (pelo menos não as com menos de 14 anos). Brinquedos que não foram feitos para brincar e sim para guardar, cuidar, expor.

Nasceram em Hong Kong, pelas mãos do até então desconhecido Michael Lau. Diferentemente do que vemos hoje, os toys de Lau eram bonecos Gi-Joe customizados. A partir daí viraram mania. Diferentes dos brinquedos normais, Toy Arts saem em tiragem limitada (e muitas vezes em peças únicas e artesanais), possuem uma cultura de rua e foram feitos para se colecionar.

Não só um luxo de adultos descolados ou consumismo, os brinquedos levam a assinatura de ilustradores, grafiteiros, nomes do mundo da moda e outras figuras de várias áreas da criação e do design. Muitas vezes são criados a fim de criticar e ironizar um estilo de vida da sociedade atual, uma vertente política ou até mesmo para colocar em pauta alguma discussão relevante.

O legal de hoje é que com o crescimento dessa brincadeira de gente grande, é possível comprar os toys “em branco” (aqui), prontos para serem customizados da maneira que você quiser. Então, se você tem na veia a alma criativa, imagina que demais presentear algum com uma criação sua heim?

Além dos clássicos em vinil encontramos uma vertente interessante em pelúcia e tecido. Existe na net diversos sites que ensinam a customizar ou costurar seus próprios toys!

Ta esperando o quê? Pegue seus marcadores ou sua linha de costura e vá desestressar um pouco. Garantimos que faz bem!

Etiquetado , , , , , , , , , ,

Inspiração #12 – Bicicletas

Curta nossa página no FACEBOOK e fique de olho em nossas promoções!

Gostou? Então curta nossa página no FACEBOOK e veja muito mais!

.img

Etiquetado , , , , , , , ,

Tips! Guia do Mochileiro das Galáxias

Deitado em um campo a noite, bêbado e olhando o céu e com um Guia do Mochileiro para a Europa. Foi assim que Douglas Adams teve a idéia, em 1977, para um programa de rádio onde ao fim de cada episódio a terra era destruída de uma maneira inusitada.

A série fez tanto sucesso que rendeu a Douglas uma série de prêmios, além de se transformar em uma “trilogia” de 5 livros que conquistou o coração de aficionados por cultura geek, games, quadrinhos, etc.

Os livros contam a história de Arthur Dent, que descobre, minutos antes da terra ser destruída por uma raça alienígena, que seu melhor amigo é na verdade um extraterrestre. A trama se desenrola de tal maneira que Dent e seu colega conhecem o “presidente da galáxia”, um robô maníaco-depressivo e outros personagens que tripulam a nave “Coração de Ouro”. A partir daí todos partem no universo em busca da “Pegunta Fundamental da Vida, do Universo e Tudo Mais”, sempre guiados pelo incrível livro de viagens: O Guia do Mochileiro das Galáxias

A grande sacada é que o autor, de forma irônica e escrachada, constrói uma filosofia e pensamento cientifico próprio a cerca do cosmos e do universo, alem de expor, de maneira bem humorada, críticas a assuntos cotidianos como política, burocracia, as pessoas e suas manias. Além disso coloca em questão perguntas clássicas e filosóficas sobre nós: quem somos nós? Para onde estamos indo? O que é a existência?

Em 2005 a série foi para as telonas em uma versão cinematográfica espetacular, que conseguiu mais uma vez agregar novos milhares de fans.

Douglas Adams morreu em 11 de maio de 2001, aos 49 anos, de ataque cardíaco. Deixou como legado uma forma criativa de ver as problemáticas do mundo atual, interpretar as questões existenciais e encarar com humor a vida.

Aproveite que no Submarino a coleção está saindo hoje por apenas R$19,90 em comemoração ao dia do orgulho nerd.

Etiquetado , , , , , , , , , , , ,

Tips! Moleskine

Um caderninho de anotações, de cantos arredondados, folhas de tom creme, elástico para mante-lo fechado (ou aberto em determinada página) e costura central. Diz a lenda que os blocos de anotações Moleskine foram utilizados por muitos pensadores famosos ao longo de séculos. Alguns dizem que é puro marketing.

O que na verdade importa é que sketchbooks, não obrigatoriamente  os Moleskine, são uma ferramenta excelente para manter a criatividade exercitada e em dia, realizar anotações e brainstorms pessoais, servir como caderno-guia de algum processo criativo ou até mesmo como hobby.

E não só de designers e ilustradores vivem as Moleskines. Da próxima vez q for viajar, ao invés de levar a câmera fotográfica, experimente comprar um sketchbook zero km; nele faça anotações, escreva pequenos textos, arrisques alguns desenhos de observações, faça colagens e colecione lembranças. Garanto que será uma experiência totalmente nova e prazerosa.

Aqui no Brasil, sketchbooks da marca Moleskine tem um preço salgado, mas existem boas alternativas. Dê uma olhada no site O Projetista e outros similares. Os valores vão desde R$9 em um formato A6 até R$50 para um formato A3. Já os originais Moleskine não saem por menos de R$50 no seu menor formato.

Vale a pena conferir alguns trabalhos desse hobby viciante!

Moleskine Art

Moleskine Art

Moleskine Art

Etiquetado , , , , , , , , , , , , ,

Inspiração #11 – Tattoo

Alguns tatuadores rebeldes se voltam contra a parte tradicional dessa nobre arte.

O resultado? Confira a seguir!

gribouilles,dessins et trucs en tattoo por Xoil Needles'side

violentementeureuse    Xoil

Mais em Peter AurischXoil, Musa e Amanda Wachob

Etiquetado , , , , , , , , , , , , ,