Arquivo da tag: Arte

Inspiração #22 – Graffitis

Graffitis, arte de rua, expressão popular. Latas de tinta, estêncil e máscaras. Muita criatividade e atitude.

O resultado você vê abaixo

Guy Fawkes

Hammotime

Abigaelarachnid

Lois In Wonderland

Jakedobkin

6EMEIA

6emeia

Banksy

Saber

SABER

Graffiti

obey

Anúncios
Etiquetado , , , , , , , , , , ,

A Mídia Máxima!

Sempre tivemos a necessidade do entretenimento, de contar histórias. Seja através dos primórdios dos teatros e arenas gregas, ou dos livros. A sequência da evolução dessas mídias é bem interessante. O rádio adicionou o som, o cinema a imagem, a TV uniu os dois.

O barato é que, por mais que essas mídias fossem voltadas para o entretenimento, elas nunca conseguiram alcançar a interatividade necessária para transformar o expectador num verdadeiro participante da experiência.

Mas no ano de 1972, surge o que hoje podemos chamar de mídia máxima: a Atari lançava o vídeo-jogo PONG. Se não passava apenas de alguns pontos de pixels com mecânicas simples, essa faísca se tornaria mais tarde a imensa fogueira dos videogames do séc XXI.

Oras, por que mídia máxima?

Se a TV foi capaz de unir Imagem+Som, os jogos eletrônicos são a única forma de agregar efetivamente Imagem+Som+Interatividade. E veja bem, não só interatividade entre o usuário e a mídia em si, mas entre outros usuários, isso muito antes de qualquer rede social se tornar um fenômeno. A arte de se contar uma história foi elevada a um outro nível com a evolução dos videogames.

Roteiro, direção de arte, trilhas sonoras, construção de personagens, criação de cenários e realidades novas (ficcionais ou não), como no cinema mas somados a participação ativa do usuário tornaram os games a maior indústria de entretenimento atual. O resultado atual são de franquias interessantíssimas que conseguem comunicar cultura e informações. Assassins Creed por exemplo , série de jogos desenvolvidos pela produtora Ubisoft, coloca o jogador em períodos históricos distintos, recriando com clareza e precisão cidades e monumentos arquitetônicos que podem ser estudados e visitados minuciosamente.

E se o cinema tem a capacidade de arrancar as mais diversas emoções dos seus espectadores, com certeza os videogames fazem isso de forma muito superior. Quem não derramou lágrimas ao ver Aeris, heroína do aclamado Final Fantasy VII, ser morta pelo vilão Sephiroth? Ou então quando Agro, seu cavalo e companheiro na jornada solitária do game Shadow of the Colossus morre salvando sua vida?

Poderia escrever aqui por horas a fim demonstrando como os videogames são a mídia máxima de entretenimento presente hoje no mercado, ou como alguns games, assim como alguns filmes, podem ser considerados verdadeiras obras de arte. Mas deixemos isso para outros posts ok?

Infográfico - O tamanho da indústria dos vídeo games [infográfico]

Etiquetado , , , ,

inspiração #18 – Pinturas em aquarela

Para nos inspirar, algumas obras da artista italiana Silvia Pelissero.

Silvia Pelissero agnes-cecile aquarelas belas mulheres manchadas

Silvia Pelissero agnes-cecile aquarelas belas mulheres manchadas

Silvia Pelissero agnes-cecile aquarelas belas mulheres manchadas

Silvia Pelissero agnes-cecile aquarelas belas mulheres manchadas

Silvia Pelissero agnes-cecile aquarelas belas mulheres manchadas

Silvia Pelissero agnes-cecile aquarelas belas mulheres manchadas

Silvia Pelissero agnes-cecile aquarelas belas mulheres manchadas

Silvia Pelissero agnes-cecile aquarelas belas mulheres manchadas

Silvia Pelissero agnes-cecile aquarelas belas mulheres manchadas

Silvia Pelissero agnes-cecile aquarelas belas mulheres manchadas

Silvia Pelissero agnes-cecile aquarelas belas mulheres manchadas

Gostou? Curta nossa página no FACEBOOK e veja muito mais!

Etiquetado , , , , ,

Ferramentas do design digital #2 – Gaming Keyboards

Já falamos aqui sobre tablets para desenho digital, e agora você deve estar se perguntando: “Mas que raios que um teclado, dedicado para jogos pode servir de acessório para designers, ilustradores, animadores, etc?”

Bem, primeiro vamos explicar o que são gaming keyboards e para o que foram desenvolvidos inicialmente. Esses estranhos mini-teclados feitos para serem utilizados com uma mão tem como objetivo melhorar o desempenho dos jogadores da plataforma pc. Isso mesmo, são direcionados principalmente a jogadores profissionais competitivos, que desejam melhorar sua performance, velocidade e precisão nos games.

E o que isso tem a ver com design digital? Bem, essas incríveis ferramentas podem ser adaptadas perfeitamente para o uso dos amantes e profissionais de artes digitais, isso porquê oferecem a ergonomia, praticidade e customização necessárias para que se adapte ao uso de qualquer softwares gráficos existentes.

Pare para pensar um pouquinho em quantos atalhos diferentes você usa no Photoshop. E no Illustrator? Hmm e talvez no Corel Painter X ? Apesar de serem atalhos diferentes no teclado, muitas vezes desempenham a mesma função dentro desses softwares certo? Então imagine um acessório aonde é possível configura-lo de maneira onde uma mesma tecla possa desempenhar um comando específico em cada aplicação, gravar macros (sequência de comandos disparadas por uma só tecla), criar diferentes profiles para inúmeros softwares diferentes e tudo isso ao alcance e conforto de uma só mão!

Esses teclados de punho, além de lhe dar agilidade na produção também previnem LERs (lesões por esforço repetitivo), podem ser facilmente transportados para serem utilizados em qualquer lugar e o melhor de tudo, ainda são cool!

Customizing Your SetupEu utilizo o modelo N52TE da Belkin, mas existem outros bem interessantes como o Wolfking Warrior da Toshiba e o G13 da Logitech. Cada um com seus respectivos prós e contras, todos oferecem funcionalidades similares, como softwares para configuração dos comandos dos botões, memória interna para armazenamento de profiles, etc. O custo fica em torno de R$200, mas tem de ser importados pois são muito difíceis de se achar por aqui.

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

INSPIRAÇÃO #16 – PAREDES ESCULPIDAS

Aqui nós apoiamos toda e qualquer forma de street art, então vamos tentar trazer algumas para cá para nos inspirar.

Hoje veremos o trabalho do português Alexandre Farto, conhecido como Vhils, que faz sua arte esculpindo nas paredes.

Bom… não fazendo isso em nenhum prédio tombado, está mais que aprovado.

Etiquetado , , , , , , ,

Então você quer ser um sketcher?

Você gosta de desenhar, rabiscar e usar cores, certo? Gastava uma tonelada de sulfite por mês quando era menor, chegou até a fazer uma pastinha dos teus desenhos, realmente achava que seria um ilustrador ou, quem sabe, escrever histórias em quadrinhos quando ficasse maior?

Pois é, as coisas nem sempre se desenrolam como a gente imagina quando criança. As oportunidades mudam e o dinheiro passa a falar mais alto em algum momento. Fica frio, aconteceu comigo também. Quando a gente menos percebe, não está mais desenhando, criando, imaginando, sonhando… Quando a gente menos percebe, nosso lado direito do cérebro ta ali, pedindo ajuda… um resgate.

Criar, exercer e praticar a criatividade é extremamente importante. Nos mantem sãos, de bom humor, com a mente ativa.

Pensando nisso resolvemos criar um guia para você que deseja ou voltar a criar ou começar agora a tirar as loucuras da tua cabecinha e passar para o papel! Seja desenhando, escrevendo, fotografando, anotando, pintando, não importa! O que vale é criar!

O que eu preciso?

A ideia é que possamos colocar em prática nossa gana criativa em qualquer lugar. Até porque a vontade de desenhar, pintar, escrever pode vir a qualquer hora, nunca sabemos da onde vai vir a inspiração. Então que tal montar um kit básico de viagem? Assim teremos de maneira prática e sem ocupar muito espaço tudo o que for necessário para saciar nossa vontade, seja onde quer que for.

Papel

Embora existam diversos tipos de papel para diversos tipos de uso destintos vamos tentar mostrar aqui algo que seja “pau pra toda obra”.

O ideal é q não se utilize folhas soltas nem muito grandes se seu interesse é poder usar esse kit em qualquer lugar. Então sketchbooks (encadernados ou de brochura), normalmente no formato A4 ou menor são os ideiais. A gramatura do papel é importante. Por exemplo, 100g/m2~120g/m2 se dão muito bem com canetas nanquins e até marcadores, mas não seria muito legal para aquarelas. Se você está visando pintura, procure algo em torno de 290g/m2

Dica: No site O Projetista, os sketcbooks saem muito em conta. R$21,00 por um caderno de capadura A4, importado, com 100 folhas canson 100g/m2para a toda obra”, assim você pode deixar fluir o grande artista multi-meios que sempre sonhou.

Lápis

Estojo de lápis STAEDTLER + borracha+apontador

Lapiseiras, lápis ou minas, não importa. O que você precisa é de grafite que marque o papel certo? Embora a Faber-Castell seja a marca mais difundida aqui no Brasil, vale a pena investir em algo de mais qualidade. Para lápis, recomendamos as marcas Staedtler ou Koh-I-Noor. Ambas possuem estojos com amplas variedade de rigidez de grafite (2H-HB-B-2B-4B-6B) lembrando que quanto mais “H” houver no nome, mais duro é o grafite, e quanto mais “B” mais macio seu traço vai ser. Espere um investimento de cerca de R$25~R$35 por 6 lápis de qualidade.

Borrachas

Embora ao longo do tempo você use utilize cada vez menos a borracha por sentir mais e mais segurança no traço, elas ainda são indispensáveis. De novo, a Fabber pode ser encontrada em diversos lugares, mas um investimento a mais é sempre melhor. Eu particularmente utilizo 2 borrachas sempre: uma branca básica Staedtler super macia e uma borracha caneta fina da Pentel. Ambas são super baratas (cerca de R$4 cada) e duram Borracha branca STAEDTLERbastante, mas é legal sempre ter em mãos refil para elas. Outra coisa q as vezes é indispensável é o gabarito chamado de “mata-gato” utilizado para corrigir pequenos erros sem apagar e estragar o restante do desenho. Esse sai por aproximadamente R$6

Canetas NanquimEstojo canetas Nankin descartaveis Staedtler 4 pcs

Minhas preferidas. Podem ser descartáveis ou tipo tinteiro, mas essas segundas são bem mais caras, então espere você estar fera para comprar uma delas. Um estojo da Staedtler com 4 canetas de expessuras diferentes sai por R$27 e vale cada centavo.

Dica: nunca deixe suas nanquins sem a tampa. Acabam por ressecar e vazar a tinta.

Marcadores

A upgrade das famosas canetinhas de infância! Cores muito mais leves, não “vaza” o papel e preenchem os espaços em branco sem sobrepor ou esconder os traços de naquim e grafite. São

Caneta Magic color estojo com 24 cores- SÉRIE OUROexcelentes para um colorir rápido, pois normalmente apresentam pontas duplas, sendo uma mais fina para detalhes e uma chanfrada para preenchimento. O barato dessas canetas são que as cores podem ser sobrepostas (depois da primeira cor secar, coisa de cerca de 30segundos ~1 minuto) e assim você pode formar novas paletas com as misturas. Mais em conta hoje aqui no brasil é a série gold da Magic Color. O estojo com 24 cores sai por R$70. Sim, é um pouco puxado e fica ainda mais puxado se você optar por mais cores ou pontas duplas, mas garantimos q vale cada centavo. Uma opção que me surpreendeu fora os novos marcadores da Bic, com o estojo de 36 cores por aproximadamente R$70. Esses eu só encontrei na Kalunga

Para guardar tudo!Estojo em curvim para lápis - 2 zíperes

E com esse tanto de material, tem q ter algo prático e rápido para carregar e organizar certo? uma boa opção são os estojos de curvim com ziper. Eles vem com repartições internas no estilo de páginas, com opções para 12, 26 ou 46 espaços para guardar lápis, canetas, marcadores, borrachas, etc, tudo seguro individualmente com elásticos. Vão desde R$23 até R$43

Outras bugigangas

Não são obrigatórios, mas itens como régua, compasso, gabarito de circunferências e um bom estilete sempre ajudam na hora de necessidade. Esses itens são relativamente baratos e você com o tempo vai percebendo o que realmente necessita e se encaixa no seu tipo de arte ou trabalho. Nem entramos aqui em aquarela ou outros tipos de pintura porquê nos estenderíamos muito, então deixamos isso para um próximo artigo, combinado?

Todos materiais que falamos nesse artigo podem ser encontrados nas melhores casas de arte ou papelarias especializadas, mas achamos que compensa muito mais comprar pela internet em lojas como O Projetista, ArteCamargo, Papelaria Real e Fruto de Arte pois você acha os melhores preços, muitas vezes com descontos para pagamento a vista e recebe tudo no conforto de casa.

Bacana? Então bora começar a rabiscar!

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

INSPIRAÇÃO #15 – Tipografia

Indo na onda do tema do próximo Encontro ADG, a tipogragia, separamos alguns exemplos para entendermos do que se trata… e claro, para inspirar um pouco.

Inspiração Tipográfica #71

Inspiração Tipográfica #67

Inspiração Tipográfica #67

Inspiração Tipográfica #67

Inspiração Tipográfica #26

Etiquetado , , , , ,

INSPIRAÇÃO #14 – Lados do Cérebro

Quando eu digo que meu lado direito do cérebro comeu o lado esquerdo, algumas pessoas não entendem.

Por isso uso imagens.

Gostou? Vá em nossa pagina do FACEBOOK, curta e veja muito mais!

Etiquetado , , , , , , , , , ,

estúdio de criação?

O que seria um Estúdio de Criação? O que exatamente vocês criam? Com o que trabalham?

Essa é uma definição um pouco difícil para nós, e acho que a melhor maneira de responder é dizendo o que nós gostamos de criar.

E a resposta seria Absolutamente Tudo.

Um Estúdio de Criação é um lugar onde transformamos uma vontade em uma idéia e essa ideia em produto, seja ele estático ou dinâmico, virtual ou tocável, pequeno ou grande e etc.

Nosso trabalho é viver e conviver com a criatividade. Trabalhar com o desafio de direcionar a criação para qualquer forma de necessidade.

Gerar imagens de divulgação, publicidade, objetos, edifícios arquitetônicos, interiores, vídeos, espaços, ambientes,  filmes, músicas, idéias, textos e tudo o que precisa do lado direito do cérebro para passar a existir.

/Arte/Literatura/Ilustração/Desenhos/Design/Arquitetura/Cinema/Pintura/Música/Criação/

Tudo isso e mais um pouco, e nada disso e um pouco menos.

IMG

Etiquetado , , , , , , , , , , , , ,

Jovens Artistas #3 – Cinthia Dynamite

Do curso de design gráfico para moda. De uma agência de turismo para um estúdio fotográfico.

Só depois de toda essa jornada, Cinthia Saty Fuji – ou Cinthia Dynamite, como assina seus trabalhos – voltou para a ilustração e para o desenho, algo que já havia desistido a alguns anos atrás, por volta de seus 16. O ano decisivo foi 2010, quando decidiu que iria investir na área, se formando na Academia de Artes Quanta.

Seja seguindo os traços angelicais de Alphonse Mucha ou nas idéias surrealistas do grande mestre Hayao Miyazaki, o trabalho de Cinthia tem um “quê” de infância, de sonho; aqui nada de arestas pesadas ou contornos desnecessários. Muita cor e expressão dão conta do recado. As inspirações ainda se estendem para outros grandes nomes como Goro Fujita, Kevin Dart, Dice Tsutsumi, etc.

Se já manda bem no desenho, pintura e design gráfico, a garota ainda coloca as manguinhas de fora e parte para duas outras paixões: dança hip-hop a 8 anos e espalha um pouco de arte pelas ruas de São Paulo, grafitando sempre que pode.

Para o futuro, um livro infantil (escrito e ilustrado todo por ela) e dois curtas de animação. Se estático no papel já é espetacular, imagina animado?

Esperamos que o trabalho dela cresça cada vez mais! Valeu Cinthia!

Ah, não esquece de visitar o BLOG  e o SITE dela heim?

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , , ,