Arquivo da categoria: Ilustradores

Jovens Artistas #7 Rafael Grampá

Para esse primeiro dia sobre quadrinhos, selecionamos um Jovem Artista que por seus prêmios já praticamente entra em Grandes Artistas.

É o quadrinista/desenhista/roteirista/etc Rafael Grampá!

Gaúcho, Grampá trabalhou na rede de TV RBS no sul do Brasil. Mudou-se para São Paulo e foi designer da premiada produtora Lobo. Passou a dedicar-se a seus quadrinhos, e após alguns prêmios e muito sucesso, já é extremamente conhecido no mundo das HQ’s dentro e fora do país. Hoje é também diretor da Paranoid BR, uma gigante da publicidade.

Ganhador do Eisner Award, Rafael Grampá foi diretor de animação e motion graphics, e despontou no universo dos quadrinhos com a sua primeira Graphic Novel, “Mesmo Delivery”. A obra foi publicada nos EUA, Brasil e Itália e lhe rendeu diversos convites para as grandes editoras, como a DC, Marvel e Dark Horse Comics.

Conhecido pela sua narrativa cinematográfica, hoje é um dos nomes dos quadrinhos mais respeitados internacionalmente, passando de forma criteriosa por todos os processos de produção de suas histórias (criação do roteiro, desenhos e coloração). No seu portfólio destacam-se também trabalhos como Hellblazer e Wolverine.

Dono de um traço bastante detalhista, Grampá trata seus quadrinhos de forma muito cinematográfica. A influencia de séries de TV da sua infância, como  “Além da imaginação” está extremamente presente em Mesmo Delivery, até mesmo os comerciais que cortavam o programa em pedaços serviram como referência. Talvez de forma até sem querer o conceito deu certo, uma adaptação para o cinema de Mesmo Delivery já está certa.

Para termos uma ideia do artista que temos representando nossa bandeira, em 2010 Grampá foi convidado pela editora americana Marvel Comics para criar uma história para a antologia Strange Tales 2, dando a ele liberdade total de criação. Grampá escreveu e desenhou a história “Dear Logan“,  que foi considerada por muitos como “a melhor história do Wolverine de todos os tempos”. Com essa história de oito páginas, Grampá se tornou o primeiro brasileiro a escrever um roteiro para a Marvel Comics a ser publicada nos Estados Unidos.

Atualmente o artista escreve -com o escritor brasileiro Daniel Pellizzari- e desenha a série Furry Water and The Sons of The Insurrection para a editora americana Dark Horse Comics e escreve o roteiro da adaptação para o cinema de Mesmo Delivery, que terá direção de Mauro Lima, diretor do filme Meu Nome Não É Jhonny.

A outra novidade na prancheta de Grampá é ainda mais importante para os fãs de quadrinhos. Ele vai ser o primeiro brasileiro a criar e a ilustrar uma HQ do Batman para a DC Comics. A história faz parte de um projeto maior e secreto da editora para 2013 e do qual outro brasileiro, Rafael Albuquerque, também faz parte.

Se gostou, curta seu facebook, e siga-o no twitter… agora vamos dar uma olhada em mais algumas das artes desse Jovem Artista brasileiro?

Rufo em ação em Mesmo Delivery (Desiderata)

Gostou? Agora manda um curtir no nosso facebook e siga-nos no twitter! Além de dá um follow no blog, é claro.

Anúncios
Etiquetado , , , , , , ,

Jovens Artistas #3 – Cinthia Dynamite

Do curso de design gráfico para moda. De uma agência de turismo para um estúdio fotográfico.

Só depois de toda essa jornada, Cinthia Saty Fuji – ou Cinthia Dynamite, como assina seus trabalhos – voltou para a ilustração e para o desenho, algo que já havia desistido a alguns anos atrás, por volta de seus 16. O ano decisivo foi 2010, quando decidiu que iria investir na área, se formando na Academia de Artes Quanta.

Seja seguindo os traços angelicais de Alphonse Mucha ou nas idéias surrealistas do grande mestre Hayao Miyazaki, o trabalho de Cinthia tem um “quê” de infância, de sonho; aqui nada de arestas pesadas ou contornos desnecessários. Muita cor e expressão dão conta do recado. As inspirações ainda se estendem para outros grandes nomes como Goro Fujita, Kevin Dart, Dice Tsutsumi, etc.

Se já manda bem no desenho, pintura e design gráfico, a garota ainda coloca as manguinhas de fora e parte para duas outras paixões: dança hip-hop a 8 anos e espalha um pouco de arte pelas ruas de São Paulo, grafitando sempre que pode.

Para o futuro, um livro infantil (escrito e ilustrado todo por ela) e dois curtas de animação. Se estático no papel já é espetacular, imagina animado?

Esperamos que o trabalho dela cresça cada vez mais! Valeu Cinthia!

Ah, não esquece de visitar o BLOG  e o SITE dela heim?

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Jovens Artistas #2 – Júlia Bax

Paraense de nascença, paulista de criação, Julia Nascimento Bacellar (ou apenas Júlia Bax) tem suas raízes artísticas cravadas nos quadrinhos.

Começou desde pequena a acompanhar os super-heróis no papel, copiando os desenhos de Jim Lee.

Cresceu, saltou de curso em curso na universidade, mas a vontade de ser artista falou mais alto (para nosso deleito). Júlia hoje faz trabalhos para diversas editoras e jornais brasileiros, além de alguns dos grandões lá fora como Marvel e Boom Studios.

E embora tendo toda a influência dos quadrinhos convencionais, é notável como suas andanças pelo mundo foram adicionando ao traço da senhorita Bax. Suas aquarelas são cheias de personalidade e de um jeitão próprio de desenhar, pintar e compor que ela foi criando. Interessante (de uma excelente maneira) acessar o blog dela e conferir  a transformação do trabalho da moça ao longo do tempo.

Versátil, dinâmico e de uma qualidade técnica de dar inveja, é assim que vemos o trabalho dessa talentosa ilustradora!

Etiquetado , , , , , , , , , , , ,

Jovens Artistas #1 – Bernardo França

Outubro de 2011, 13º Semana de Arquitetura e Urbanismo da FAUS.

Nas atividades da semana, ali num cantinho discreto do panfleto dizia:

“Nem só de projetos vive um arquiteto. Conheça outros caminhos que a arquitetura pode nos levar com a experiência dos ilustradores Bernardo França e Leonardo Maciel.”

As 17h estávamos lá no atelier. Cara de menino com cavanhaque, Bernardo já estava lá. Notei alguns (vários) sketchbooks em cima da prancheta onde estavam suas coisas e minha mão já começou a coçar para fuçar!

Ele distribuiu os sketchs antes mesmo de começar a falar e começou a rodar algumas de suas ilustrações no projetor; fiquei de queixo caído.

Bernardo França nasceu em Brasília, se formou arquiteto na UFRJ mas logo seguiu o caminho da ilustração. Conhecemos ele no seu momento de mudança para São Paulo, a fim de entrar no mercado da capital. E não é que virou?  Folha de São Paulo, Pão de Açúcar, Ilustrar e diversas outras revistas e livros já estão na lista de clientes do cara.

O que mais chamou atenção foi o estilo solto, quase gestual que ele tem. O desenho flui, parece fácil. Mas as composições, aplicação da cor meio deslocada e a planificação dos desenhos demonstram toda a bagagem e experiência com a caneta e o papel. O “quê” de cubismo das ilustrações combina com o estilão meio retrô que ele porta.

Os trabalhos variam desde ilustrações para capas de revistas, artigos de jornal, livros infantis, quadrinhos, concept art, posters e muito mais. As referências do cara também não são fracas. Eyvind Earle, Robert Crumb, Rene Gruau, Alphonse Mucha, etc.

Volta e meia o Bernardo posta algo interessante fora da ilustração e arte gráfica. Referências musicais, de artistas, de épocas e estilos; sempre aparece com algo que a gente aqui no estúdio não conhecia e que rapidamente ficamos fascinados!

Bernardão, continue com suas andanças pela ilustração que estamos acompanhando de perto!

Bem que eu queria, mas não da pra postar tudo dele aqui. Então acompanhe e confira o restante do trabalho no Blog e a Página dele!

Etiquetado , , , , , , , , ,